ANUNCIO TESTE 2

Do 'crush' ao crime: veja dicas para se proteger do 'golpe do amor' usado para sequestrar e roubar vítimas

ANUNCIO TESTE


Segundo o Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), crime é classificado como estelionato. Na quinta-feira (9), em São Paulo, um homem foi forçado a compartilhar as senhas das contas bancárias a criminosos após marcar um encontro com uma mulher que ele conheceu no Tinder. Entre as estratégias dos criminosos, estão atrair as vítimas para bairros isolados logo após os contatos no aplicativo de paquera
Priscilla Du Preez via Unsplash
Você já usou algum aplicativo de relacionamento para marcar um encontro com um “crush” – termo usado para descrever sentimentos por alguém – virtual? Se sim a resposta for sim, é melhor tomar cuidado. Plataformas digitais como Tinder, Bumble e Happn têm sido usadas por criminosos para atrair novas vítimas.
Na quinta-feira (9), na Zona Leste de São Paulo, um homem de 52 anos foi sequestrado e roubado ao se encontrar pela terceira vez com uma mulher que ele conheceu pela internet.
O homem foi abordado pelos criminosos enquanto aguardava a mulher na Cidade Tiradentes, dentro de um carro de aplicativo. Ele havia solicitado a corrida para buscá-la e, depois, ir a um shopping.
Em depoimento à Polícia Civil, a vítima disse que foi levada por três homens para uma rua escura, onde foi forçada a desbloquear o celular e informar as senhas dos aplicativos bancários e do cartão.
Esse tipo de crime não acontece de forma isolada. Em São Paulo, entre janeiro até março deste ano, a Divisão Antissequestro do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), unidade especializada em sequestro da Polícia Civil paulista, registrou 18 casos de “golpe do Tinder”.
Entre as ocorrências, 14 foram esclarecidas e resultaram na prisão de 56 suspeitos. Em 2022, foram 115 casos durante todo ano.
Diante desta onda de crimes de estelionatos, o g1 reuniu dicas sobre o que fazer durante o uso dos apps para evitar cair em armadilhas dos “golpistas do amor”.
As informações foram obtidas com o delegado da Divisão Antissequestro do Departamento de Operações Policiais Estratégicas e especialistas em segurança digital.
Essas “dicas de ouro” não garantem 100% a proteção, mas são os filtros básicos que podem evitar muita coisa ruim, segundo presidente da Associação Brasileira de Segurança Cibernética, Hiago Kin.
Dicas para ter uma experiência mais segura
❌ Não compartilhe informações pessoais com a outra pessoa: evite falar se mora sozinho, se tem carro, se a família é de outro estado, o endereço de trabalho ou em que dias você vai à academia.
🤥 Verifique se o perfil do crush é fake: criminosos muitas vezes acabam utilizando fotos que geralmente pertencem a outra pessoa; veja abaixo como fazer uma análise após o match:
🎭 Observe se há sinais que podem indicar manipulação da imagem: bordas ou sombras irregulares e resolução baixa são indícios de montagem ou retirada de fotos de outros perfis.
🔎 Pesquise pelo nome que aparece no perfil: utilize buscadores e outras redes sociais para ver quais informações aparecem sobre o crush e se a foto corresponde com as imagens que foram apresentadas pela pessoa.
🖼️ Cadastro sem foto ou com imagens disponíveis em bancos: isso aumenta a chance de ser um perfil enganoso.
🧐 Faça uma pesquisa reversa: é possível utilizar a busca de imagens do Google. Para isso, clique no botão de câmera. Arraste ou envie o arquivo de uma imagem que desejar pesquisar, por upload ou link, e o buscador exibirá resultados iguais ou semelhantes. Desse modo, será possível verificar se a foto é original ou tem outras versões distintas, além de saber quem mais já divulgou o conteúdo.
Pesquise qualquer imagem com o Google Lens
Reprodução/ Google
📱 Cuidado na elaboração do seu perfil: levando em consideração que os golpistas acabam explorando detalhes como sobrenome ou local de trabalho para manipular as vítimas ou cometer crimes, seguem algumas orientações:
Utilize o nome abreviado ou apelido;
Reduza as informações pessoais como “gosto de cachorros” ou “do RJ para o mundo”, pois são características particulares que podem atrair o golpista para o lado sentimental da vítima;
Evite colocar informações sobre profissão;
Não use fotos que mostram viagens internacionais e ao lado de carros de luxo.
💵 Nunca envie dinheiro ou compartilhe dados bancários: se alguém fizer algum pedido de dinheiro ou números de documentos pelo aplicativo de relacionamento, informe a plataforma de paquera.
📵 Evite convites para conversar em outros apps: prefira manter a conversa pelo aplicativo que iniciou a interação. Então, nada de cair no papo de que “não consigo entrar aqui toda hora” ou que “minha assinatura do app está prestes a expirar”.
⚠️️Proteja sua conta: escolha uma senha forte e sempre tome cuidado ao fazer login em um computador público ou compartilhado. O Tinder, por exemplo, não envia e-mail solicitando nome e senha. Se receber esse tipo de solicitação, denuncie imediatamente.
🔗 Cuidado para links enviados pelos usuários: é preciso ter atenção para não clicar em qualquer link suspeito. Denuncie se receber spam ou ofertas, incluindo links para sites comerciais ou tentativas de vender produtos ou serviços.
🤝🏻 Uso de confiança para aplicar golpe: evite falar para o crush sobre informações de amigos e familiares. O golpista pode continuar a conversa por semanas para conseguir dados para roubar sua identidade ou de conhecidos, que também podem ser futuras vítimas.
🤳🏻 Videochamada: a Polícia Civil e o Tinder recomendam fazer uma videochamada antes do encontro.
😶 Modo anônimo e dispositivo para bloquear: o Tinder disponibiliza para os usuários premium o “modo anônimo”, que permite ocultar totalmente o perfil. Os usuários também podem bloquear um perfil para evitar que ele apareça nas sugestões. A plataforma explica que é uma forma de evitar ver colegas de trabalho e ex-namorados (as).
Teve um nude vazado? Prática é crime; saiba como juntar provas, denunciar e pedir remoção
Brasil tem ao menos 4 processos por dia por divulgação de imagens íntimas
📍 Escolha do lugar: marque o encontro durante o dia, evite encontros em uma residência, escadarias de shopping ou estacionamento de supermercados. Escolha um local público, movimentado e fora de uma região de risco. Avise colegas e familiares onde será o primeiro date e compartilhe a sua localização.
🚨 Combine uma ligação de emergência: peça para que pessoas de confiança liguem para saber como está a situação. Se ela não conseguir resposta poderá tomar providências ou até mesmo acionar socorro.
⏰ Mudanças de planos: se de última hora a pessoa mudar o ponto de encontro, a recomendação é cancelar.
🚘 Não aceite caronas: tenha o controle de como chegar e sair de seu encontro, para poder ir embora quando quiser. Se você estiver dirigindo, é recomendável ter um “plano B”, como um aplicativo de transporte ou um amigo para ajudar com uma carona.
Como denunciar
🤬 Se ficar desconfortável, vá embora: se você não sentir em segurança, peça ajuda nas plataformas ou ligue para autoridades policiais (190).
Saiba o que fazer se o seu namorado virtual pediu dinheiro e sumiu
EditorialAutomáticoSELECIONAR IMAGEMTítuloMulticontent *Insira o título do multicontent a ser anexado
Assista também:
Teve um nude vazado? Prática é crime; saiba como denunciar
Teve um nude vazado? Prática é crime; saiba como denunciar 
Golpe do cartão por aproximação: veja como agem os criminosos
Golpe do cartão por aproximação: veja como agem os criminosos
ChatGPT: como usar o robô no dia a dia
ChatGPT: como usar o robô no dia a dia

ANUNCIO TESTE 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *